Políticos e ( CCs ) do alto escalão dos governos André Pacheco e Bonatto, são indiciados pela Policia Civil.

Em menos de 24hs, vários políticos e ( CCs ) do alto escalão dos governos André Pacheco e Valdir Bonatto são indiciados pela Policia Civil.

No primeiro caso 

Após mais de cinco anos de investigação, a Polícia Civil concluiu inquérito que aponta que o Sindicato dos Municipários de Viamão (Simvia) desviou pelo menos R$ 1 milhão de pagamentos de indenizações que deveriam ter sido feitos a pelo menos 183 merendeiras e auxiliares de escolasda cidade. O caso agora está com a Justiça.

Segundo o delegado Edison Frade, há indícios e provas de que o Simvia desviou recursos de um total de R$ 1,5 milhão que seria destinado ao pagamento de indenização. Parte do valor teria sido pago, mas em valores muito abaixo do que foi estipulado pela Justiça.

— Há casos em que pessoas receberam metade ou um terço do valor. Muitas pessoas sequer foram informadas que têm direito a receber este dinheiro

Presidente do SIMVIA Isabel Garcia e sua filha Bruna Garcia

Inclusive, na nossa investigação, tivemos informação de que houve orientação do sindicato para que a direção não entrasse em contato com estes servidores que deveriam receber o pagamento — explicou Frade.

( No entendimento da Polícia Civil, são responsáveis pelo desvio das verbas a presidente do sindicato, o vice, o tesoureiro, o contador e a filha da presidente.

Segundo Frade : ” Há indícios que boa parte do dinheiro tenha sido usado para financiar a campanha eleitoral da filha da presidente.  ( Bruna Garcia ) que concorreu ao cargos de vereadora.

No segundo caso 

O Delegado de Polícia Civil, Edson Frade, indiciou 6 (seis) políticos  do PMDB de Viamão por estelionato, entre eles: Sarico Moura, Jair Mesquita e Barbaroti.

QUEM É QUEM

Sarico Moura é o principal líder do PMDB na cidade, Jair Mesquita é Procurador Geral do Município e o Luiz Barbatori é ex-Secretário Municipal dos Transportes e suplente de Vereador.

MOTIVAÇÃO

Da Esquerda para direita: Jair Mesquita, Sarico Moura, Joãozinho da Saúde, Juliana Oliveira, André Pacheco, Barbarotti

Conforme a apuração realizada pela Polícia Civil, um dos motivos para a inscrição de duas chapas para a disputa da presidência do Partido em Viamão, era a falta de transparência aos filiados e a falta de prestação de contas por parte dos dirigentes.

As acusações foram salientadas pela Juliana Oliveira da Silva, que é filha do Vereador Joãozinho da Saúde, pelo próprio Joãozinho da Saúde, que é Vereador na cidade, pelo ex-Vereador e atual Vice Prefeito, Russinho, pela Advogada Aline Pohren Bueno e pelo ex-Vereador e atual Secretário Municipal de Educação, Carlos Bennech, que faziam parte da direção municipal e não conseguiam ter acesso às informações financeiras e partidárias.

Conforme a apuração, o PMDB Viamonense arrecada 5% (cinco por cento) dos vencimentos de seus filiados que ocupam cargos de confiança e dos ocupantes de cargos políticos, entretanto o documento juntado ao inquérito policial indique que a porcentagem arrecadada é de 10% (dez por cento).

E ainda foi solicitado a direção municipal do PMDB em Viamão, a lista de seus filiados, bem como o valor contribuído desde 2008 até a presente data.

FRAUDE NA ELEIÇÃO PARTIDÁRIA

Conforme foi apurado com exame preliminar, a lista de presença da convenção partidária, apresenta vários problemas graves, desde filiados que negaram ter comparecido à votação, assinaturas idênticas e até gente morta que teria “votado” na chapa de Sarico e Jair Mesquita. O material foi recolhido para realização de perícia grafoscópica.

PRESTAÇÕES DE CONTAS

O atual Secretário Municipal de Transporte, Bororó (PP), que foi suplente de Vereador pelo PMDB e integrou a direção municipal do PMDB de Viamão, prestou depoimento e declarou que na gestão de 2013 a 2015, Jair Mesquita e Sarico negaram as solicitações verbais e escritas das prestações de contas. Bororó solicitou as informações a Justiça Eleitoral e pode verificar que as prestações de contas do Partido estavam irregulares.

Informou ainda que foi feito um levantamento com os filiados que doavam mensalmente contribuições financeiras ao PMDB local, e foi constatado que em nem todas as contribuições eram anotadas e que era recolhido através de depósitos bancários na conta do Partido na cidade. A estimativa é de mais R$ 100.000,00 (cem mil) reais foi arrecadado entre 2013 e 2015.

INDICIAMENTO

O Delegado responsável pelo caso, encaminhou para o Ministério Público o Inquérito Policial para o oferecimento da denúncia criminal.

 

Fonte da informação :

Compilação de informações dos jornais

Jornal Correio Viamonense / Rádio Gaúcha / Jornal Sexta

Foto da capa : Mera Ilustração

Fotos Central: Internet

Publicidade

———————————————————————————————————————————–

      

      

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *