Prefeito queria a maior lixeira da América Latina em Viamão, para receber o lixo de 28 cidades, o projeto teve o  pedido negado pela Fepam

Prefeito queria a maior lixeira da América Latina em Viamão, para receber o lixo de 28 cidades, o projeto teve o  pedido negado pela Fepam

Meio que no silêncio o prefeito de Viamão André Pacheco está travando uma luta para trazer, um dos gigantes de resíduos ( Lixo ) da América Latina o Grupo Solvi, maior entre os ‘lixeiros’ do Brasil, que pretende instalar-se em Viamão, suas centrais de resíduos, a estrutura seria capaz de receber o lixo de até 28 cidades próximas, todos os dias da semana.

O lixo é um grande problema por todas as partes, o problema é maior ainda  nos grandes centros urbanos, cidades enormes, com populações gigantes,  consequentemente, terão uma produção de lixo massiva. Esses fatores, além do descaso público, compõem uma fórmula explosiva, que sempre gera  problemas, como poluição toxica, proliferação de doenças, pragas e, principalmente, a degradação de solo, fauna e flora, agora multiplique isso ( 28x ).

O projeto prevê  que todo esse lixo seja depositado num raio de 10 quilômetros da área de proteção integral no Refúgio Silvestre Banhado dos Pacheco, refugio de vida silvestre , local onde os ecossistemas estão relacionados ao bioma Pampa, sendo que nos ambientes de banhados encontram-se particularmente importantes nascentes do rio Gravataí e áreas de fundamental importância para o abrigo da fauna residente e migratória. Diversas aves de interesse especial para conservação, local onde ainda permanecem os últimos indivíduos do cervo-do-pantanal .

A principio o plano estaria  sendo desenvolvido em parceria entre um empreendedor local ( empresário conhecido e parceiro do prefeito  ) e uma grande empresa do ramo de resíduos sólidos.

O processo acabou chegando ao conhecimento do Ministério Público, que resolveu abrir um inquérito civil para acompanhar o caso.

Conforme a promotora Anelise Grehs Stifelman, é preciso  “investigar o risco de dano ambiental à unidade de conservação de proteção integral do Refúgio Silvestre Banhado dos Pacheco e à unidade de conservação de uso sustentável da Área de Proteção Ambiental do Banhado Grande”. A área de 100 hectares indicada pela empresa fica em Águas Claras, próximo ao pedágio da RS-040

O inquérito foi remetido da comarca de Viamão para a promotoria regional especializada.

O projeto da CRVR – subsidiária gaúcha do grupo Solvi  teve seu pedido de licença ambiental negado pela Fepam, na reunião do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Gravataí, realizado na  Câmara de Santo Antônio da Patrulha com representações de órgãos ambientais, governo, ONGs e sociedade civil.

Segundo a  promotora Anelise Grehs Stifelman: Ouvindo envolvidos e analisando estudos técnicos há dois anos, desde que descobriu o silencioso projeto na ‘primeira capital’, Anelise alerta para a localização das três áreas indicadas pelo grupo Solvi/CRVR em Viamão.

Preocupa ao Ministério Público área de proteção integral no Refúgio Silvestre Banhado dos Pacheco, onde ocorreram os últimos avistamentos de cervos do pantanal

Segundo a promotora Anelise Grehs Stifelman, o  Ministério Público sempre terá uma posição técnica, nunca política ou econômica.

Publicidade

———————————————————————————————————————————–

      

       

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *