Idosa está há seis meses sem receber remédio em Viamão

A dona de casa Eloá Wolfat Victoria, 73 anos, está enfrentando dificuldades para manter seu tratamento cardiológico. Moradora do bairro Santa Isabel, em Viamão, ela precisa retirar o medicamento ticlopidina 250mg na farmácia de medicamentos especiais do município.

Porém, há seis meses, o produto está em falta no estoque do órgão público. Reposição Eloá mora com as filhas, a segurança Sandra Guedes César, 50 anos, e a comerciária Itanajara Wolfat Victoria, 52 anos. A idosa sofre com a falta do remédio, mesmo tendo receitas médicas nas quais consta que o uso da substância deve ser contínuo.

Pacientes com problemas cardíacos costumam utilizar outro medicamento, o AAS, para o tipo de tratamento que Eloá precisa. Porém, como ela é alérgica ao remédio, necessita substitui-lo pela ticlopidina. Para Itanajara, a falta do medicamento representa riscos para a saúde da mãe.

— Ela precisa muito. Sem o remédio, corre o risco até de ter um AVC ( acidente vascular cerebral) — explica a filha.

Tratamento 

Além do medicamento que está em falta, Eloá toma outros oito remédios, como sinvastatina, omeprazol e insulina.

O conjunto de drogas serve para tratar uma cardiopatia isquêmica — estreitamento das artérias que levam sangue rico em oxigênio para o coração. A idosa mantém o tratamento desde que sofreu um infarto, há cerca de 15 anos.

 

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da assessoria de imprensa da prefeitura de Viamão, confirmou que a medicação está em falta na cidade.

Segundo a nota enviada pelo órgão, isso ocorre porque a farmácia de medicamentos especiais é abastecida pelo almoxarifado central do Estado, que enviou a última remessa de ticlopidina em janeiro deste ano. Ainda segundo a Secretaria de Viamão, a última vez em que Eloá conseguiu retirar o remédio foi em fevereiro.

Responsável por distribuir o medicamento, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) esclareceu que o remédio foi entregue pelo fornecedor na semana passada e já está em fase de distribuição junto às secretarias municipais.

Porém, o órgão não informou quando o medicamento estará disponível para retirada na farmácia de medicamentos especiais de Viamão.

Eloá Wolfat Victoria, 73 anos,

 

Fonte : Diário Gaúcho

Foto interna: Foto: Arquivo Pessoal / Leitor/DG

Foto Capa: Ilustração

ATUALIZAÇÃO DA MATÉRIA 

O CASO DA SENHORA DE 73 ANOS QUE ESTÁ A 6 MESES SEM REMÉDIO FOI ENCAMINHADO PARA MINISTÉRIO PÚBLICO.
Uma matéria do Jornal de Viamão, chamou atenção da comunidade de Viamão nesta semana, e teve grande repercussão nas redes sociais da cidade.
A matéria foi pauta na mídia estadual , chegou Câmara de Vereadores, e ao conhecimento do prefeito, que foi intimado durante uma sessão a tomar uma providências. Link: Vídeo
O caso da dona de casa Eloá Wolfat Victoria, 73 anos, que está sem remédios a mais de 6 meses.
A noticia foi e continua sendo motivo de indignação nas redes socais, o principal grupo da internet da cidade Acontecimentos Viamão com cerca de ( 125 mil membros ) gerou centenas de compartilhamentos e vídeos que já chegaram a mais de 10 mil visualizações.
O caso já chegou ao conhecimento do Ministério Público, através de pedidos e comunicados de pessoas que estão encaminhando por conta a matéria e sugestões ao MP.
É o exemplo do conhecido profissional de Contabilidade , radialista e líder comunitário de Viamão, Leandro Rosa da Silva, conhecido como ( Silva Leandro) . Hoje Silva Leandro, comunicou a redação do Jornal de Viamão que usando o seu direito de cidadão, protocolou no Ministério Público de Viamão, uma representação chamando a atenção para o caso da Idosa , Eloá Wolfat Victoria de 73 anos que está a cerca de 6 meses sem receber medicamento, o pedido foi encaminhado para Promotoria de Justiça de Viamão/RS, que foi recebido pelo cadastrado de número RD.00931.01008/2017.
Silva Leandro possui , escritório profissional em Viamão, especialista em MEI (Microempreendedor) é líder comunitário daquela região, autor de projetos e representações, petições administrativas, junto aos Setores Públicos, em busca da solução do problema de Viamão, com base legal no artigo: 196 da Constituição Federal, busca melhorias para problemas na cidade, mas principalmente casos que envolvam a saúde pública.
 
Por todo exposto, Silva Leandro, cidadão, é um exemplo de que, independente de mandato público, qualquer brasileiro pode amparado constitucionalmente lutar pelo que é correto.

 

Publicidade

———————————————————————————————————————————–

      

       

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *